Portal da Igreja Pentecostal Deus é Amor



 

 

 

 

 

 

 

Missionário David Miranda Presidente Mundial
Mensagens
Agenda
Contatos
Ereni
Miranda Primeira Conselheira Mundial

Mensagens
Agenda
Contatos
Pastor
David
Miranda Filho

Mensagens
Agenda
Contatos

Pastor Lourival de Almeida

Mensagens

Agenda
Contatos
Cantora Débora Miranda

Mensagens

Agenda
Contatos
Login
Senha
   
 

doutrina bíblica ou modismo teológico?

 

 

 

Wilson de Jesus

   A “Batalha Espiritual” não é um tema novo para a Bíblia. O Apóstolo Pedro já alertava: “Sede sóbrios e vigilantes; o diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar: resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo” (I Pe 5: 8,9).

    A Bíblia está repleta de exemplos de sofrimentos causados às pessoas por espíritos malignos (Jó 1:12- 19; Mc 5:1-22; Lc 13:11-13). O próprio Jesus foi tentado pelo diabo (Mt 4:1-11). Na esfera humana, a Batalha Espiritual teve início quando nossos primeiros pais (Adão e Eva) preferiram ceder à voz da serpente no Éden (Gn 3). Porém à luz de Isaías 14 e Ezequiel 28 chega-se à conclusão que ela teve sua origem na desobediência e queda de Lúcifer.

    Discernir é necessário: A Batalha Espiritual está presente não somente nas páginas sagradas da Bíblia, mas também nos mais belos hinos e corinhos que regem o culto de adoração. Quem ainda não sentiu o toque da mão divina louvando a Deus com cânticos como: Um Pendão Real (Hc 46); Acordai, Acordai (Hc 63); Pelejar por Jesus (Hc 108); De Valor em Valor (Hc186); Os Guerreiros se Preparam (Hc 212); Sê Valente (Hc 225); Campeões da Luz (Hc 305); Sou um Soldado (Hc 418). Quem ainda não ouviu corinhos como: “Caiam por terra agora, os inimigos de Deus”, “Vem com Josué lutar emJericó”, “Homem de guerra é Jeová” etc?

    A nossa preocupação é com o fascínio pelo mal, e com as aberrações teológicas que permeiam o tema, tais como: Crentes endemoninhados (É impossível um crente genuinamente bíblico também ser um endemoninhado). A expressão “Tá amarrado” antigamente era: “O Sangue de Jesus tem Poder”. Outras expressões: Espíritos territoriais, Mapeamento espiritual, Invocação de demônios etc.

    Houve uma razão para que esses desvios doutrinários aconteçam: é o crescimento numérico dos crentes atenienses, aqueles que vivem em busca de inovações e modismos (At 17:21), e estão faltando os nobres crentes bereanos, aqueles que estudavam a Palavra de Deus para verificarem a veracidade bíblica dos sermões de Paulo (At 17:11).

    Abra a sua Bíblia e nos acompanhe nesta exposição: “Batalha Espiritual: Doutrina Bíblica ou Modismo Teológico?”

I. A Bíblia Fala de uma Batalha Espiritual

1. A sua realidade:

    Em Ef 6:12a lemos sobre “a nossa luta” e que há poderes no mundo invisível contra os quais somos impotentes, a não ser que Cristo nos acuda.

2. A Sua natureza. Quem são os nossos inimigos?

(A) As Ciladas do diabo: São os métodos e estratégias do maligno que “faz guerra” contra a alma do homem (I Pe 2.11 NTLH): “Queridos amigos, lembrem- se que vocês são estrangeiros de passagem por este mundo. Peço, portanto que evitem as paixões carnais que estão sempre em guerra contra a alma”. Pedro tem por certo que a vida cristã é compreendida por seus leitores como uma vida de conflitos. Seu objetivo é explicar que não se trata de uma luta física, mas espiritual.

(B) Os Poderes espirituais do mal: Todos esses termos referem-se a seres espirituais poderosos que formam a “Potestade do ar” (Ef 6.12; 2.2), governada por Satanás, que controla todas as camadas a rebelião contra a suprema autoridade e Deus (II Co 4.4 NTLH): “Eles não podem crer, ois o deus deste mundo conservou a mente deles na scuridão. Ele não os deixa ver a luz que brilha obre eles, a luz que vem da boa notícia a respeito da glória de Cristo, o qual nos mostra como Deus realmente é”. Só a maior força de Cristo que venceu estas forças na cruz (Cl 2:15) pode nos dar a vitória.

(C) A Carne: Nas Sagradas Escrituras, o termo é usado tanto para descrever a natureza humana (como em Ef 6:12 “o sangue e a carne”), como para qualificar o princípio que está disposto a se opor ao Espírito. Esse último sentido foi desenvolvido como doutrina pelo apóstolo Paulo. O crente carnal, segundo muito bem explica em suas epístolas, é o que dá inteira guarida ao pecado. O cristão vive em dois mundos ao mesmo tempo. Essa é a razão porque a carne “milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si” (Gl 5:17). A vitória contra este inimigo (o pecado que reside em nós) não vem sem luta ou num minuto. Graças a Deus a vitória virá por Cristo! A carne é a esfera onde o poder do pecado e o diabo controlam, onde as obras da carne são praticadas. Depois da morte e ressurreição de Cristo a batalha entre as duas esferas “a carne” e “o espírito” para os filhos de Deus passou a ser vitoriosa (Hb 2:14-15). É impossível morar nos dois lugares ao mesmo tempo: “Mas as pessoas são tentadas quando são atraídas e enganadas pelos seus próprios maus desejos. Então esses desejos fazem com que o pecado nasça, e o pecado, quando está maduro, produz a morte” (Tg 1:14-15 NTLH). (D) O “Mundo”: Filosófica e cientificamente, a Terra é o conjunto de todas as coisas criadas por Deus. O Universo que Deus criou é a mesma ordem e a mesma beleza (Sl 50:12; 93:1; Jó 1:10; Hb 11:3). “Mundo” também se refere ao gênero humano (Mt 5.14; Jo 3.16:8.12; At 17:31; II Co 5:19; II Pe 2:5). No campo da Teologia, porém, é o sistema que se opõe de forma persistente e sistemática ao Reino de Deus.

 

 

   É o sistema implantado por Satanás, cujo principal objetivo é levar o ser humano a edificar o material em detrimento do espiritual. O apelo básico do mundanismo é realçar o que se vê, o que se pega e o que se sente. É, portanto, um sistema diametralmente oposto ao Reino de Deus, cuja maior virtude acha-se na fé que devotamos ao Senhor nosso Deus (I Jo 2:16). Sobre esse inimigo do crente, as Escrituras nos ensina que:

O mundo se opõe ao crente fiel (Jo 15:8);

O mundo está crucificado para nós, e nós estamos crucificados para o mundo (Gl 6:14);

A amizade do mundo é inimiga de Deus (Tg 4:4);

Não devemos amar o mundo nem as coisas que há no mundo (I Jo 2:15.);

O mundo inteiro jaz no maligno (I Jo 5:19);

Ai do mundo, por causa dos escândalos (Mt 18:7);

Estamos no mundo, mas não somos do mundo (Jo 15:19; 17:16).

3. A Sua manifestação:

    É o que Paulo denomina de “O dia mau” (Ef 6:13). Refere-se ao dia em que maior tentação de negar o Senhor nos afligirá. Em Efésios 5:16 a expressão aparece no plural e o Apóstolo nos adverte “Remindo o tempo” o que também pode ser corretamente traduzido como “Aproveitai as oportunidades” (Cl 45 ARA) É a hora de aproveitarmos as oportunidades para (Ef 6:10,11,13):

O Fortalecimento no Senhor e na Força do seu Poder.

O Revestimento de toda a Armadura de Deus.

Amigo leitor, você já está aproveitando as oportunidades concedidas por Deus?

II. A Bíblia Compara o Crente a um Soldado Valente

O crente é um soldado de Cristo, arrolado por Ele, treinado por Ele, sustentado por Ele. A vida cristã é uma guerra, envolvendo o bom combate da fé contra tudo que se opõe à fé e à retidão. Atente para este ensinamento prático:

1. O Chamado do Soldado

(A) Ele é chamado à coragem: Gideão dispensou os soldados medrosos. Fé e medo não têm nada em comum: era para os medrosos voltarem para casa e dois terços se retiraram (Jz 7).

(B) Ele é chamado à fidelidade: Muitos vêm a Jesus somente em busca das bênçãos materiais, mas quando são confrontados com a Palavra de Deus acham-na muito “dura” e se retiram. O verdadeiro soldado permanece (Jo 6).

2. O Caráter do Soldado

(A) Ele é Forte. “Fortifica-te na graça” (2 Tm 2:1). O tempo verbal presente, no grego, e a voz passiva significam: “Sê continuamente fortalecido”. É uma ordem e não meramente um conselho. “Nós estamos sempre dispostos a fazer das nossas fraquezas um travesseiro para o sono espiritual”.

(B) Ele é Consagrado à causa do Senhor (2 Tm 2.3.4). Soldado em serviço: Gr Stratevomenos; isto é, servindo como soldado. O soldado deve sempre estar em estado de prontidão. O soldado romano era isolado, por lei de todos os interesses, negócios e ações que pudessem interferir na disciplina da sua profissão. O soldado precisava abandonar todas as atividades civis e fazer do  bom grado do comandante a lei da sua vida. O crente deve dar prioridade à sua vocação e ser completamente edicado à sua missão e ao seu comandante. Quando Jesus ressuscitou a Lázaro, esse continuava com os pés e as mãos ligados com ataduras e o rosto envolto num lenço. Então Jesus lhes ordenou para que o desatasse (Jo 11:44). Quantos, mesmo sendo crentes, continuam amarrados com ataduras espirituais? Pedro, Tiago e João deixaram as redes, Mateus deixou a alfândega. Bartimeu deixou a capa, a Samaritana deixou o cântaro vazio. Zaqueu deixou a desonestidade. E você, o que deixou por amor a Cristo?

(C) Ele é disciplinado (2Tm 2:5,10). Tem que obedecer a normas (v.5). Um bom soldado cristão não se faz num só dia. Requer exercício com oração, exercício com a Palavra de Deus (Ef 6:7) e exercício em marchar. Andar em amor, em luz, em espírito e nas pegadas de Jesus (1 Co 9:25,27 NTLH): “Todo atleta que está treinando agüenta exercícios duros porque quer receber uma coroa de folhas de louro, uma coroa, que aliás, não dura muito. Mas nós queremos receber uma coroa que dura para sempre. Por isso corro direto para a linha final. Também sou como um lutador de boxe que não perde nenhum golpe. Eu trato o meu corpo duramente e o obrigo a ser completamente controlado. Para que, depois de ter chamado outros para entrarem na luta eu mesmo não venha a ser eliminado dela”.

 

 

 

 

 

 

 




Adicionar página aos favoritos!  /  Definir esse site como página inicial!

 

© Igreja Pentecostal Deus é Amor - todos os direitos reservados. Contatos pelo email: contato@ipda.com.br
Para assuntos referentes ao Portal IPDA favor entrar em contato no email: webmaster@ipda.com.br