Mais de 3,3 mil médicos estão atuando no combate ao coronavírus – Igreja Pentecostal Deus é Amor

Mais de 3,3 mil médicos estão atuando no combate ao coronavírus

Mais de 3,3 mil médicos estão atuando no combate ao coronavírus

Mais 3.314 médicos já se apresentaram para atuar no combate ao coronavírus em 1.218 municípios brasileiros e Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). O total de profissionais é o resultado das duas primeiras chamadas do Edital nº 5/20, lançado emergencialmente para reforçar o atendimento nos postos de saúde durante a atual pandemia da COVID-19. Para a 3ª chamada do programa, mais 542 profissionais são aguardados para iniciar as atividades nos serviços de saúde entre os dias 19 e 26 de maio.

Na segunda chamada, 482 médicos foram alocados em 304 municípios para reforçar o atendimento na Atenção Primária à Saúde, incluindo 9 profissionais em 6 DSEI. Estes médicos, todos com CRM Brasil, irão se juntar aos cerca de 15 mil profissionais que já atuam em mais de quatro mil municípios pelo programa Mais Médicos. No total, o Ministério da Saúde recebeu mais de 9.410 inscrições de profissionais para as vagas abertas em 1.902 municípios brasileiros para preenchimento das vagas desocupadas no projeto. Para garantir a contratação dos profissionais para todas as vagas, o Governo Federal está investindo mais de R$ 1,2 bilhão.

Capitais e grandes centros urbanos, que não vinham sendo priorizadas na alocação dos médicos, voltam a receber profissionais de forma emergencial. A mudança ocorre porque grandes cidades, com maior concentração de pessoas, são locais mais propensos à circulação do vírus. Nestes casos, o contrato com os médicos será de apenas um ano e a seleção poderá ter até cinco chamadas para preenchimento de todas as vagas. A bolsa-formação é de R$ 12.380,00.

Dos 3.314 profissionais, 47% tem entre 30 e 39 anos; 34% entre 23 e 29 anos; 12% entre 40 e 49 anos; 4% entre 50 e 59 anos; e 3% tem acima de 60 anos. Do total, 19% possui especialização ou residência em Medicina de Família e Comunidade e 17% escolheram unidades de saúde em estados diferentes das suas residências.

Fonte: https://www.saude.gov.br/